terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Strobist

O que é afinal essa coisa do Strobist afinal, ora bem Strobist é um movimento espalhado um pouco por todo o mundo, que se iniciou, segundo consegui apurar nos, fins dos anos 90 nos Estados Unidos da América, e que de principio se chamou Strobism mas caiu para a denominação Strobist muito por culpa de David Hobby e do seu blog http://www.strobist.com/, considerados por muitos a "Bíblia" deste movimento, foi criado por fotógrafos Profissionais e Amadores de forma a poderem tirar mais partido dos seus flashes convencionais e usando-os como fossem cabeças de flash de estúdio usando as mesmas técnicas de iluminação e com acessórios idênticos adaptados, para realizarem as suas sessões fotográficas em qualquer lugar, este movimento tem vindo a ganhar adeptos por todo o mundo devido as suas vantagens e ao seu baixissimo custo.

São chamados Strobist a todos aqueles que usam este tipo de iluminação, o termo vem de:

Strobes = Flash = Speedlight (nome menos comum)

Devo dizer que ao principio estava um pouco céptico com os resultados, mas depois de uma leitura pela Internet sobre o assunto fiquei completamente rendido as suas possibilidades e posso afirmar que os resultados são idênticos aos se usarmos cabeças de flash de estúdio, e sei que por esta afirmação vou ser crucificado por alguns fotógrafos mais tradicionais. O que me agrada no Strobist é sem dúvida o facto de estarmos sempre a descobrir novas coisas e podermos criar os nossos próprios acessórios.

Vantagens são muitas, desde, a Portabilidade, todos nós sabemos que quando vamos fotografar queremos ir o mais leves possives e o Strobist é isso mesmo, depois o facto de apenas com a nossa maquina e o nosso flashzinho, e só pelo facto de estar fora da maquina e de um ângulo diferente faz que as nossas fotografias sejam inovadoras e não tenham o típico chapão de luz frontal.
Com o crescente interesse que tenho notado nos fóruns Portugueses que frequento, durante as próximas semanas vou tentar desvendar um pouco este tipo de iluminação ou deste movimento, partilhando convosco como é habito a minha experiência e como tudo funciona.

Para vos aguçar a curiosidade sobre o que vem por ai nos próximos artigos, deixo-vos aqui um pequeno vídeo que foi dos primeiro que vi sobre o assunto e posso dizer que foi um dos vídeo impulsionadores para ter aderido a este movimento.


O vídeo é de um fotografo chamado Paul Duncan, podem ver o site dele em: http://www.pduncan.com/




2 comentários:

luigi the photografer disse...

A única grande desvantagem que vejo são mesmo os tempos de reciclagem mais altos e as toneladas de pilhas quando pretendemos fazer umas sessão mais longa... no entanto a portabilidade, baixo custo são sem dúvida uma grande vantagem, levar o estúdio para a rua é caro e pouco prático.

Amanda disse...

Parabéns pelo blog, já está nos meus favoritos. Vou aproveitar algumas dicas!